viagem no tempo

Eu encontrei este texto que eu escrevi há mais ou menos um ano e que fala sobre a minha experiência migrando do Windows pro Linux. Como este é meu blog resolvi postar aqui, cápsula do tempo feelings:

A migração dos pinguins

Já sou aluno de ciência da computação há um ano agora. Finalmente depois de ler um artigo chamado “How to become a Hacker” (um nome bem sexy para Timmys) tomei vergonha na cara e verdadeiramente comecei a aprender um sistema operacional UNIX (GNU/Linux para fins praticos). Já estou a quase uma semana baixando pacotes, mexendo na linha de comando e até estou aprendendo o emacs (bóóóó).

Foi uma boa decisão me libertar do ambiente Windows, não apenas por questões éticas como defende o paladino Stallman nem pelas óbvias questões economicas, mas para me tornar um “Hacker” como falou eloquentemente Eric S. Raymond autor do artigo citado acima. Forçando-me a fuçar todos os caminhos que existem nesse sistema enquanto estudo as minhas linguagens de programação ou simplesmente baixos músicas e afins me torna um computeiro melhor e mais “poderoso”. No final das contas linux rocks mesmo.

O que eu sinto falta

Até agora nao consegui me adaptar bem aos editores de texto (preferia o meu notepad++ que ironicamente nao existe aqui), mas o emacs promete.

A famosa questão dos joguinhos é recorrente, porém FoF roda bonito aqui e essa semana eu fiquei viciado nesse garotão. Para todos os outros casos existe Wine (ainda nem tentei usar ele mas um dia eu pego junto) e o clássico XP instalado na outra partição.

Lembrete: salvar C x s

Fim do texto

Onde eu estou agora

Achei interessante ler isto, é sempre legal ver as coisas em retrospecto. Para fins de desambiguação, alguns fatos interessantes:

  • Ironicamente eu não fazia idéia da quantidade de editores de texto (para os mais variados gostos) que estão presentes no Linux;
  • Hoje em dia eu não uso o emacs, mas talvez um dia tente pegar ele de novo;
  • Sistemas UNIX e Linux em especial realmente rocks;
  • Nesse período eu experimentei OpenSuse, Debian e Ubuntu e por uma conjuntura de fatores sou adepto do último;
  • Já fiz maravilhas com o Wine;
  • Infelizmente ainda não me libertei da tirania do dualboot com Windows XP, mas quem sabe um dia…

Você provavelmente curtirá: