A sua identidade é importante. Você leva ela dentro do seu bolso durante a maior parte do dia. O seu nome é importante. Ele é uma cadeia finita de caracteres que indexa o conjunto de características que representa “você” num universo que é povoado por muitos “eles” que não são “você”. Um nome é um conceito importante para nós humanos, sendo que muitas coisas nunca deixariam de ser coisas se não tivessem uma denominação alternativa, que é, um tanto mais criativa e interessante que “coisa”.

Além disso, no tocante a pessoas, é observável que as palavras proferidas por “nomes famosos” tendem a ter uma repercussão maior, não necessariamente porque sejam mais relevantes, mas talvez porque sejam provavelmente mais relevantes.

Esse sentimento, é claro, vem ondulando dos níveis superiores até chegar no cidadão comum. Ele bloga no seu bloguinho, twitta seu twitinho, posta no forunzinho e últimamente até joga a fazendinha no seu orkutinho. Tudo isso, esta interação social, surge quase como um pretexto para espalhar um pouco mais o seu nome. Você sabe… construir uma reputação, ou , como faz um subconjunto dos mamiferos, dar uma mijada territorial.

mijada

Porém, leitor urofóbico, não se desespere. Esta aqui é a internet e existe todo o tipo de site, até para pessoas que estão cansados dessa briga incessante por atenção. Eis que surge a nossa frente a idéia de uma comunidade anônima online… Online e anônima? Incorremos aqui num pleonasmo? Não.

Por um lado a internet tem desde os seus primórdios sido O LUGAR para ser um anônimo, e temos tomado este fato como certo. No entanto, construindo sobre o que eu estrategicamente dissertei alguns parágrafos acima, um nome, servindo de referência para alguma coisa (incluindo aqui um humano sentado na frente de um computador) é suficiente para que se derive um conceito de identidade. Então, mesmo que frequentemente encontremos sujeitos chamados maclover28, legolas_form_hyrule ou nArUToHaRuNo em fóruns, listas de email e outros tipos de comunidade online nós SABEMOS quem eles são. Eles estão associados à idéia de uma potencial pessoa do outro lado do monitor.

eterno

Um comunidade realmente anônima precisa prover meios de comunicação que eliminem completamente o conceito de identidade, porém ainda ser capaz de reter o conteúdo desta informação. A solução é restringir a individualidade para o nível das mensagens, ou seja, o campo de usuário de cada mensagem é (não) preenchido novamente para cada postagem dando para nós a estranha sensação de estarmos falando com alguém e com ninguém ao mesmo tempo.

Então, o que isto tudo quer dizer? Para ser bem sincero, a “semente” deste blabla todo que eu estou jogando pra cima de vocês veio de um texto que eu li em um chan (um fórum anônimo nos moldes do que eu estou falando aqui). Algumas idéias me chamaram muita atenção neste texto, como a possibilidade de uma comunidade que é movida unicamente pelo seu propósito e que não sofre com questões de autoafirmação levantadas pelos membros. Quando eu observo o que emerge dessa interação eu fico realmente impressionado… é a visão de um coletivo sem as usuais poças de mijo.

anon

Para concluir, fica uma coisa que na qual me surpreendi pensando nos últimos dias. Como todos sabem a internet hoje não nada é anônima e praticamente qualquer coisa que você fizer pode (e será caso necessário) rastreada, além disso a maioria das pessoas adora uma rede social e fica fazendo propaganda de si mesmo o tempo inteiro. Porém paradoxalmente eu noto um crescente e paralelo interesse no modelo de comunidade anônima … por que vocês acham que isso acontece?

Você provavelmente curtirá: