Este ano o Matehackers juntamente com a Casa da Cultura Digital vai trazer pela primeira vez o Dia da Cultura Livre para Porto Alegre e na realidade para o Brasil, visto que somos a única cidade a fazê-lo em 2013. Legal né?

Poisé, mas como assim Cultura Livre? Livre de quê? Geralmente isto vai significar livre para ser distribuída, copiada, reproduzida, modificada… Tive o prazer de discutir isto um pouco com os membros da Casa da Cultura Digital e o fato é que a cultura já é assim, desde que a chamamos de cultura. Alguém vai negar que a música gauchesca, o chimarrão, o frevo , o sertanejo universitário, o jeitinho brasileiro, sexo, drogasfutebol e rock ‘n roll, etc… são livremente distribuídos, assimilados e reproduzidos?

Naturalmente que são e naturalmente que permeiam todos os aspectos de nossa vida cotidiana, incluindo os setores econômicos. Produzir e fomentar cultura é e sempre foi um ótimo negócio, tanto para os produtores quanto para nós, os consumidores. Compramos livros, assistimos filmes, cantamos canções, vestimos ideias e tudo mais que nos servir – e adivinhe – isso move (e muito) a nossa economia!

Entretanto aquela bendita constante, a inovação, começa novamente a mudar a maneira como os setores econômicos fazem os seus negócios. Sem dúvida, hoje vemos a força que estes setores têm ao tentar impedir a lenta, mas decisiva, transformação das maneiras como criamos e assimilamos a cultura. Começam a (res)surgir dúvidas sobre a distribuição de concessões de canais de TV no Brasil, sobre a importância dos blogs e ativismo em redes sociais, sobre a utilização de trilhas sonoras em vídeos independentemente produzidos, sobre a utilização de sementes com combinações de genes patenteados, sobre a disponibilização de videos em que você joga videogames … eu poderia citar coisas o dia todo.

É por isso que você deve aparecer na Casa de Cultura Mário Quintana no dia 18 de Maio e sentar para tomar um mate e bater um papo. E direi mais:

Porto Alegre é uma cidade multicultural mesmo, sem ficar puxando o saco. Capital do Rio Grande do Sul que, como os outros estados do Brasil, é o berço de tradições ricas e únicas. Além disso é só ir na redenção para encontrar as mais diversas tribos, desde fascinados por ícones japoneses até blueseiros legítimos tocando para seu entretenimento. Nas faculdades você encontra jovens jogando truco, mas também encontra jovens jogando Magic The Gathering. Encontra gente militando por reforma agrária e encontra gente construindo robozinhos e ainda outros discutindo como construir expressões condicionais da maneira mais elegante em português. Caso se aventure a aparecer na Avenida Independência 330, pode até chegar a conhecer os esquivos “hackers” em seu ambiente natural. No caminho também apreciará alguns adesivos do Toniolo.

Enfim, imagine se essa gente viesse dar um oi, olhasse em volta e tentasse estender junto comigo essa lista de dúvidas que eu comecei aqui. Se no processo conseguirmos alguma resposta já vamos estar no lucro!

Você provavelmente curtirá: