Eu estou de férias da faculdade então sobra um tempinho mais que generoso para meter a mão em uns games e me divertir. Alguns deles me chamaram bastante atenção e resolvi fazer uns reviews. Porque reviews são legais e eu posso me sentir como um redator de revistas de video-games (lembram quando elas exisitiam?).

Street Fighter Legend of Ansatsuken

Jogue ele aqui: http://www.newgrounds.com/portal/view/562870

Começando com esse, que eu joguei mais recentemente. Adorei o fato de eu ter clicado meio por cima no link desse jogo no Newgrounds e pensado: “Hey! Um vídeo de Street Fighter, eu sempre curto as batalhas que esse carinhas do flash fazem…”. Cara eu estava errado… era um jogo e um RPG!

RPG?!?

O sistema de batalha

Eu sou um fã do estilo, mas fiquei me coçando com essa mistura inesperada. Como fazer um um jogo de luta usar um sistema de turnos e estratégia funcionar? Fui surpreendido mais uma vez já na primeira luta onde são introduzidos os conceitos de ataques, barra de defesa, barra de energia, e etc. O jogo realmente possui batalha dividida em turnos, porém para realizar os ataques, que são na realidade combinaçãoes de golpes (combos) e é preciso confirmar cada golpe com o apertar do botão correspondente. Existe ainda um sistema de defesa que exige bastante dos reflexos e esquemas de posicionamento, golpes especiais e mudança de personagem que influenciam largamente no desfecho das lutas. No fim temos uma mescla harmoniosa de reflexos e estratégia que deixa as lutas bem interessantes. E difíceis!

A progressão do jogo também é um pouco inusitada. Diferente de um RPG normal onde você espera levar um time de personagens para explorar algum cenário e procurar itens e lutar com monstros neste você apenas vai de luta em luta, como o modo arcade do próprio Street Fighter. Entre cada luta temos algumas cutscenes, muito bem animadas em minha opnião, que usam sprites do jogo e texto para contar a história e introduzir o motivo da luta.

Atributos e combos

Storytelling

Por falar em história o jogo usa a mesma história da série Street Fighter Alpha, e você acompanha Ryu e Ken desde os primórdios do seu treinamento até se sagrarem pela primeira vez campeões e serem reconhecidos como grandes lutadores. Além disso eles se deparam com os perigos do estilo de luta que aprenderam e as consequências de usá-lo sem restrição (SPOILER Akuma SPOILER). Muitos pontos extras para o autor por usar muito bem todos os recursos que tinha, sprites, animações, som e texto para contar esta história de uma maneira que, novamente em minha opnião, deixa no chinelo as pobres animações e breves vídeos que geralmente temos explicando a história em jogos da série Street Fighter.

Cutscenes

Pontos negativos

Pra não dizer que só falei de flores, existem alguns pontos que deixam a desejar. Existem alguns momentos em que os gráficos deixam a desejar, destoando do clima do jogo. Além disso músicas eram de baixa qualidade e mal “loopadas” (o ponto de loop fechava mal), mas acredito que estes dois pontos são atribuídos ao autor tentando diminuir o tamanho do jogo.

O sistema de batalha e evolução de personagens, embora muito interessante, se mostrou um pouco desbalanceado. Das diferentes maneiras de evoluir os personagens, uma se mostrou claramente superior, nulificando possibilidades de diferentes builds e estratégias. Esse é o tipo de coisa que o autor de ter notado e vai ficar bem melhor se houveram algumas próximas versões ou continuações do jogo.

Conclusão

É um jogo excelente. Agrada fãs de Street Fighter. Agrada quem curte um bom RPG, com alguns twists na jogabilidade. Agrada quem curte uma história bem contada. Me fez sentir bem por dentro. Pena que é bem curto.

Vou escrever mais alguns reviews de jogos. O próximo será… Machinarium!

Você provavelmente curtirá: