Um dos meus hobbys, por assim dizer, é observar o comportamento humano e tentar descobrir alguns padrões. Incidentalmente, este comportamento foi observado por mim (e talvez por vocês) em outras pessoas, o que nos prende aqui num círculo recursivo de observações. Mas isso não vem ao caso agora…

Como eu dizia curto observar padrões no comportamento humano, e um em particular, vem me chamando bastante atenção. Irei me referir vulgarmente a ele como “Síndrome dos Anos Dourados” (porque um nome pomposo provavelmente dará mais credibilidade a este singelo texto).

Esta síndrome comportamental consiste simplesmente naquele sentimento, pelo qual você pode já ter sido acometido, de se estar vivendo na época errada. A mim e meus colegas Cientistas da Computação, é comum a desilusão de descobrir que as diversas idéias (algumas boas) que temos durante um semestre de  estudo, já foram uma a uma esmiúçadas por algum sujeito que até já morreu. Só resta então soltar aquele: “PQP! Porque eu não nasci há 50 anos?”.

Outros exemplos comuns seriam o menino juvenil guitarrista que descobre que todas as músicas já foram compostas, o escritor que não consegue encontrar um tema original ou o recém formado em medicina veterinária que sofre com o mercado de trabalho. Cada uma dessas pessoas, consegue estipular um período do tempo para o qual gostaria de magicamente se teleportar e viver feliz para sempre (ou pelo menos por algum tempo).

Eu estava a fim de desenvolver mais esse texto, porém eu disse que gosto de observar comportamentos, fazer uma análise precisa, por outro lado, parece fugir ao meu escopo. Além disso eu acho que me fiz entender.

Alguém mais já se sentiu assim? Vocês realmente acham que existe uma época ideal para se viver? Dissertem :)

Você provavelmente curtirá: